domingo, 15 de fevereiro de 2009

Um post sobre carnaval (parte 1)

Manaus, verão, sol, praia e calor. Arran, tudo mentira! Durante o carnaval é chuva, poucos momentos de sol escaldante, praia só se for a da Ponta Negra e calor, ah, nessa parte eu não menti não.
Hoje quero falar com você, homem, másculo, que usa óculos na testa e, acima de tudo, é micareteiro! Você, que passa o ano economizando grana para sair em todas as bandas de Manaus, que passa o rodo nas micaretas e que acha lindo ficar contando as suas peripércias micaretenses para amigos (ou quem quer que esteja perto). Você que usa abadá.

Sim, that`s the first point: o abadá!


-Uiiii, olha o lolóóóó!

Abadá (ou tururí em época de Carnaboi (???)) é aquele projeto de regata, feito do tecido mais vagabundo ever, colorido e sempre estampado com o nome (sem nexo) do bloco que irá tocar na micareta (ou no Carnaboi (???)). Eu lembro direitinho do meu primeiro abadá... era amarelo e ROSA, com o nome "Babado Elétrico" grafado nele (show do Babado Novo); lembro também que gastei malditos 10 reais tentando transformar aquele abadá em algo "vestível" (que se pudesse vestir) e o máximo que consegui foi uma blusinha frente única muito da sua chinfrin! Fui pro show e não peguei ninguém, maldito abadá!



- Tipu axim!

Depois do prejuízo prometi que não ia gastar mais nem 50 centavos pra reformar meus abadás, e assim o fiz. Virei uma "abadabazeira" de mão cheia. Comprava, pegava uma tesoura, choc choc choc (barulho da minha tesoura) e tcharãn: um abadá reformado. Quando chegava da balada, ele ia direto para o lixo.

Sim, that`s the second point: o lixo.

Incrível como as pessoas, em particular os homens, não entendem que abadá é feio e fede, e que depois de ser utilizado para sua única função (aguentar o suor do caboco na micareta), deve ser jogado no lixo, queimado, cortado em pedacinhos e enterrado. Mas nããão, o caboco bruto insiste em usar o tal do abadá trocentas vezes após o evento, se achando o rei do axé, exalando catinga e fazendo os outros sentirem vergonha alheia de graça! Não sei nas demais cidades, mas aqui em Manaus o abadá já criou um comércio especializado. Segundo informantes, lá no centro tem uma "loja" que só vende abadá, como se fosse uma blusa normal, pro cara comprar e ir curtir uma "night" com as "cocota".

CREDO.

Homens do meu Brasil, mesmo sendo micareteiros, mesmo usando óculos na testa, mesmo usando pochete, please, depois da sua micaretinha sagrada, dê um sumiço nesse abadá, vai ser lindo!


- Valeu, gatz!

2 comentários:

Joaumfaria disse...

um abada + uma bermuda de tactel + uma kenner
ew/
se interra

cayo disse...

eu trocaria a jenner e colocaria um tênis sem meia.
ah moleque!