segunda-feira, 7 de abril de 2008

Ode ao ódio

Por mais que eu tenha uma LEVE impressão de que qualquer justificativa em relação a minha ausência infinita nos últimos tempos não fará uma fagulha de diferença, vou perder uns milésimos de segundo só para explicar aos senhores - caros leitores-espíritos - que o meu sumiço se deu por conta de uma incrível falta de vontade e preguiça de escrever aqui. E o que me dá mais ódio é que eu tive muitas oportunidades de escrever posts sublimes, dignos de Prêmio Nobel de Posts Sublimes da Paz, porém a preguiça de anotar (arram, anotar) as coisas que me vinham na mente em qualquer bosta de pedaço de papel era tamanha, que eu falava pra mim mesma "opa, isso dá um bom post, eu juro que vou lembrar disso quando tiver no pc". Algo que excelentemente não deu certo e cá estou...

Escrevendo, talvez, porque a minha raiva agora é tão grande, que só esse ato maldito de esculachar os meus queridos botões do teclado, pra fazer com que eu me sinta (de forma 100% utópica) menos pior...

Ok, toda essa baboseira de raiva infanto-juvenil, massacre de teclados e palavras muito mal escritas só leva você, pseudo-leitor, a se questionar: afinal, o que esta merda de menina tanto choraminga?

Primeiramente, é a mãe! Segundamente, algo muito triste aconteceu em minha vida, algo que fere, que machuca, que causa depressão... tá, parei. Mas enfim, vou citar um trecho de uma música que com certeza me arrependerei logo, porém, é a síntese sócio-económica-tecnológica-filosófica da cagada de pombo que se alojou em meus pouco sedosos cabelos negros de índia potira:

"Dinheiro na mão é vendavaaaal, é vendavaaaal! Na vida de um sonhadoooooor, de-um-sonha-doooor..."

Muito bem, após esse momento bastante Pecado Capital-novela das 8-cafona lôca, foi o seguinte: perdi a bosta da minha carteira. Sim, meu dinheiro e documentos já devem estar bem acomodados e quentinhos no bolso de um outro(a) qualquer... ai ai, dói.
Sim, aquela maldita bolsinha de regueira que eu insisto em usar me quebrou as pernas... até as bolsinhas hippies dão o pinél, que triste... MAS NADA CONTRA OK? JAH NO CORAÇÃO DOS ÊRMÃO!

Pois é, muito além de um medíocre post-blog, este que vos escrevo (tá certa essa colocação?) é praticamente um apelo social! DOIDÃO(ONA) DA UFAM, SE VOCÊ ACHOU MINHA CARTEIRA HOMOSSEXUAL DA BETTY BOOP, QUE TAL ROLAR UMA COMPAIXÃO E ME DEVOLVER PELO MENOS OS DOCUMENTOS? É, porque meu dinheiro já deve ter sido revertido para alguma Organização Não Governamental de Bebuns de Boteco da UFAM.

Enfim, agora debandando pro lado bloguístico das coisas: eu prometo anotar em qualquer pedaço de papel os assuntos pros posts, por mais que aquela LEVE impressão de que isso não fará diferença alguma, porém, promessa é dívida (parcelada, lisa.. PODRE!!)

Um comentário:

felipe disse...

acho é pouco!
e papooo,haha

se eu encontrar o dinheiro juro q devolvo =]