quarta-feira, 23 de abril de 2008

"Chorões" be happy!


- EU?


-Euxinho?


- EU?? hahaê hihiê

Hoje é do dia Choro!

Ráááááá pegadinhadamalandra!

Hoje, de fato, É o dia do choro! Porém, leitor-fantasma, ele não tem nada a ver com aquele ato de deixar lágrimas salgadas - como o mar que bate nas pedras - escorrerem pelo rosto macio. É o dia que homenageia aquela cambada de juvenis que lá pelas bandas de 1870 achou massa misturar os sons de violão, flauta e cavaquinho e compor músicas sentimentais.

Mas porque "choro"?

Por dois possíveis motivos meu caro desavisado leitor: um seria por conta da viadi... digo, do sentimentalismo colocado nas músicas, o que dava a elas um ar "choroso". O outro vem da palavra "xolo", que era o nome do baile que os escravos faziam na época.

Saca quem foi Chiquinha Gonzaga? Se eu não me engano a Globo fez até um seriado contando a história dela (eu lembro que a Regina Duarte e a filha dela eram as "chiquinhas"), pois é, aquele som que ela fazia era choro. Na real, ela e um brother da época, um tal de Ernesto Nazareth, foram um dos primeiros compositores (reconhecidos, diga-se de passagem, porque os escravos já faziam isso) do estilo. Eles basicamente "elitizaram" as músicas e conseguiram a proeza de fazer com que toda a burguesada da época enlouquecesse e fosse até o chão nos bailes da city, só por causa de uma choradinha!


- Chiquinha Gonzaga compondo um chorinho maroto.

No início, as músicas eram apenas instrumentais, mas depois de um tempo a galera se empolgou e viu que rolava juntar alguma letra naquela melodia, ai negão, virou festa! O estilo aproximou-se do maxixe e do samba e adquiriu um rítmo mais rápido, agitado e alegre, e isso tudo aconteceu nos primórdios do século XX, momento em que também surgiu uma vertente mais hardcore do choro: o samba-choro!

Só na década de 30 que a parada fez sucesso na vida real, pois as rádios sacaram qual era a boa desse estilo e resolveram tocar as músicas até o limite do corpo. Nessa mesma época apareceu uma galera que queria mais, que queria metaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaal! Papo, na verdade eles só queriam adicionar uma percussãozinha pra ver no que ia dar. Um exemplo foi o Pixinguinha, nêgo bão!


- Pixinga alucinado no hardcore samba-choro!


Então meu querido leitor, faça bonito, chame seus amigos, faça uma roda, vista uma blusa listrada, ponha um chapéu classudo, pegue sua viola, faça cara de malandro e chore!



- NÃO DE PAGODEPORRA!!





- Chorandinho, chorandinho...

4 comentários:

Felipe disse...

Ainda pensando na palavra "xolo". quantas piadas sobre emos e o Cebolinha...

mas pra minha saúde (e principalemnte a vossa) não farei nenhuma
;P

someu disse...

chorandinho chorandinho...

:D

Baranda disse...

Fiquei orgulhoso do post, Mila!
Parabéns! =p

Andrey disse...

Aí...chorinho é difícil paca de tocar!