sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Pai do pai, mãe da mãe



Quando se é jovem, nenhuma festa é "longe demais"; nenhuma música está "alta demais"; nenhum horário que se chegue em casa "é tarde demais". Eu sei disso, eu vivo isso. Às vesperas (nem tanto assim, mas vamos arredondar só para eu me sentir um pouquinho) de completar duas maravilhosas décadas de vida, ainda é possível encontrar minhas "fraldas secando no varal" e uns "respingos de leite" pelas minhas roupas.

Havia deitado com uma dor de cabeça infernal. O dia não tinha sido lá muito fácil, altos e baixos, trânsito, calor, risadas altas, textos e mais de 20 minutos ouvindo Marina Silva falando sobre Amazônia. Dormir, este era o meu lema.

Peraí, dormir em uma sexta-feira? Pois é.

Em casa, muitas pessoas, amigos dos amigos dos meus pais; primos dos meus pais; sobrinhos. Um festejo só. Cumprimentei, aguentei 5 segundos de conversa e subi a fim de fazer valer o meu lema: dormir.

Dez minutos de leitura, pesca dalí, pesca de lá, dormi.

"Ué, é sonho ou a casa tá tremendo?"

"Não, não. A casa tá tremendo e o som tá no talo"

"O som tá no talo e o povo tá gritando"

Em qualquer outro momento eu poderia acordar muito fula da vida, descer e pedir para baixarem o volume, mas não. Não consigo. É tudo muito bonito para ser acabado por um capricho meu. Por alguns segundos entendi o que se passa pela cabeça dos meus pais quando eles ouvem de mim ou de meus irmãos que a festa "não é longe demais" (mesmo sendo num sítio lá no Ramal 24) ou então quando falamos que "o som não está alto demais" (mesmo que estejamos ouvindo System Of a Down às 3 e 30 da manhã). Entendi a tal sensação do "deixa eles se divertirem, eles merecem".

O som ainda tá no talo, mudou do pop anos 80 para um forró psicodélico, o povo lá embaixo ainda grita alucinadamento e mesmo eu tendo que acordar 7 da manhã, não consigo sentir raiva, só alegria.

É muito mágico saber que com essa idade eles ainda conseguem se divertir, dar risada, brincar, curtir como eu, que ainda nem duas décadas completei.

"Por umas horas, pai do pai e mãe da mãe, desliga a luz quando for dormir, boa noite".

2 comentários:

If 6 was 9 disse...

Forró psicodélico = chupa que é de uva + jethro tull?

Ronalda, a Caminhoneira disse...

Hahahaha kinda.