sexta-feira, 16 de maio de 2008

Que tal eliminar os mais medíocres?

Sabe, hoje foi o meu trote.

Mas o que foi pior, não foi ter que beijar peixe-cru, levar ovada, pedir dinheiro toda suja no sol quente e quase perder o cabelo com o tanto de porcaria que jogaram nele. Nem de longe isso me deixou humilhada.

Confesso que eu repudio inúmeras coisas, mas falta de educação tá entre o top 5 de coisas que eu odeio! E hoje, uma pessoa foi tão mal-educada comigo, que eu tô mal até agora, mal ao ponto de utilizar essa merda desse blog! Enfim, lá vamos nós pro momento conscientização da sociedade.

Eis a situação:

Depois de ter tirado o "grosso" da meleca do trote no chuveiro da FEF, fui atrás de um banheiro pra trocar de roupa, afinal, não sou adepta dessa onda de ficar mostrando roupas íntimas em estacionamentos da faculdade. Vale frisar que eu já estava SECA e com 89% do corpo limpo, ou seja, eu só poderia sujar algum lugar pra valer se me deitasse/esfregasse nesse lugar. Pois é, continuando... fui na tal da FEF atrás do bendito banheiro onde pudesse trocar a minha blusa. Como eu nunca tinha ido naquele maldito lugar, fui perguntar para um grupo de jovens - hipoteticamente sempre amistosos e gente boa - perguntar onde que ficava a droga do banheiro. O diálogo foi o seguinte:

Eu: Opa, alguém pode me dizer onde fica o banheiro por favor?

As pessoas me olharam com uma cara do tipo "tu tá suja pracaralhohein" e uma jovem PULOU, sem forçar a barra, a menina pulou do banco e gritou, ARRAM, gritou:

"MANDA FECHAR A PORTA DO BANHEIRO! Tu não vai entrar em banheiro nenhum"

Juro, eu fiquei sem reação, assim como o resto do pessoal também ficou! De onde que aquela criatura tirou tanta falta de educação em tão poucos segundos? Custava ela ter sido educadinha e ter falado um "pô, não vai sujar o banheiro ai...", custava ela ter sido educadinha e ter dito onde ficava a merda daquele banheiro imundo? Afinal, pelo que eu percebi, ela não tinha cara de que limpava os banheiros da FEF pra ter dado aquele pití!

Pois bem, cheguei aonde eu queria: falta de educação gratuita.

Diariamente, o número de desconhecidos que passam por nós chega a ser incontável. Algumas situações nos levam, eventualmente, a lidar com esses tais desconhecidos. Nem todo mundo pensa da mesma da forma, porém, algo não deveria ser deixado de lado nesses "encontros": o respeito.

Às vezes a gente fala o que não deve ou ouve o que não não merece. Tudo isso porque? Sei lá, atos impensados ou coisas do gênero, mas falta de educação gratuita é algo imperdoável. O que leva um ser a destratar o outro, quando esse outro em nenhum momento se mostrou como uma ameaça? Tomando a minha situação como exemplo: tudo bem, eu tava um pouco suja e tudo, mas por um acaso eu iria me esfregar na bosta do banheiro todinho? Não, certamente. Porém, o ser desprovido de consciência lógica não raciocinou desta forma e em 2 segundos concluiu que eu era uma louca que iria cagar a porcaria do banheiro da faculdade.

Típico de gente sem sensibilidade. Aposto que a maldita indivídua que foi grossa e mal-educada comigo não deve nem acertar a porcaria do papel higiênico na lixeira do banheiro de tão medíocre que é( tal qual as milhares de pessoas que - infelizmente - estão por aí e que somos obrigadas a esbarrar por azar do destino).

Por mais que essa comparação pareça muito Programa da Márcia Goldshimit, vou fazê-la: saca quando tem um mendigo na rua e a gente olha meio feio, com cara de "SAI DAQUI!". Pois é, dá até pra considerar como uma falta de educação gratuita "justificável", afinal, vai saber se aquele mendigo não vai assaltar a gente. Porém, justificável até certo ponto, já que ninguém merece ser destratado sem ao menos ter dado um motivo concreto. Apesar dessa comparação soar um pouco utópica, afinal hoje em dia não dá pra dar mole pra ninguém mesmo, o fundo da questão é simples: o pré-julgamento abre as portas pra uma falta de educação gratuita. Fato! E- infelizmente - todos somos sujeitos a isso e a fazer isso, graças as imperfeições que possuimos, simples. SÓ QUE, há situações e situações...

Portanto, fica aqui o post mais gay de todos os tempos, mas fazer o que, injustiça me enoja.

E quer saber, tô jogando praga mesmo! Que a maldita da menina torça o pé e seja uma professorinha de educação física de quinta, o meu pacifismo me fez ficar remoendo isso o dia todo, droga!

Boa noite e boa sorte.

ps: ah, vou continuar falando do trote, mas prometo que será uma visão menos sessão descarrego que essa.

5 comentários:

someu disse...

fizeram a mesma coisa comigo, so que em vez de falarem isso o cara simplimente fechou na minha cara o portão....tive que prometer pro cara que não ia sujar nada...ae ele abriu x.x'''


odeio gente assim cara...
x.x'


mas sim, continue falando do trote e de como seus veteranos foram amaveis com você


jader.

clauudinhaa. disse...

realmente,desprezível!
na verdade,nem de trote eu gosto...acho MÓ desperdício,sério!
buuut,fazer o que né?!
bjus C.B. ;*

davi_81136654 disse...

ai ai sujinha...

creio que vc deveria ter sujado a guria que te tratou mal

:D

isso nao aconteceu comigo. no meu trote entrei naquele colégio que fica na frente da ufam, totalmente produzido com os meus cabelos compridos e o vestidinho prata de lantejoulas(se escreve assim?) totalmente imundo. a moça da limpeza ainda me deu detergente e uma espatula pra tirar o grosso

:D

davi

angelinacosta disse...

nossa... que merda, mana!
eauiheaiueahiah ainda bem que eu não passo por essas coisas de trote, ó! ;D
beijão! ;**

Ronalda, a Caminhoneira disse...

CARACA, espátula é putaria...