domingo, 8 de novembro de 2009

Pensei no eu sinal hoje

E numa aparição quase que abiogênica, eles te cercam. Armados do que há de mais avançado na artilharia chinesa: um rôdo e uma garrafinha.

Dotados de uma simpatia incomum, eles fazem "legal" com a mão e levantam o pára-brisa. É muito rápido, não tem como raciocinar.

Daí você pensa "joça, eu não quero isso, não quero" e quando olha pra frente, o cara já limpou a metade do seu vidro.

"Não moço, obrigada... Não moço... MOÇO? Ô MEU FILHO VOCÊ NÃO ENTENDE QUE EU NÃO ESTOU PRECISANDO QUE LIMPEM O VIDRO DO MEU CARRO?"

Que grossa.

O que será que tem naquela garrafinha? Sabão mesmo? Uma vez recebi um email doidão falando que ali tinha algo muito ácido capaz de deteriorar seus ossinhos em menos de um minuto. Papo, mas eu lembro que recebi algo do gênero.

Não dá tempo de filosofar sobre o conteúdo da garrafinha, é preciso dar um jeito de explicar de forma tranquila e segura que você não necessita dos serviços oferecidos por aquele moço.

Um comentário:

Kizem disse...

Eu uso a técnica infalível de ligar o para-brisa toda vez que eles se aproximam...
É a melhor forma de espantá-los!